A profissão mais importante do mundo

Maurício Figueiredo em 17 de setembro de 2015 - 12:27 em Aprovação Automática
  
  

Certa vez uma professora – puxando brasa pra sua sardinha – disse que o magistério era a profissão mais importante do mundo, pois o professor era o responsável pela formação de todos os demais. Retruquei dizendo que em minha opinião as parteiras (ou os médicos que tomaram o lugar delas como o meu primo Gerson) eram as mais importantes pois colocavam gente no mundo.

Por modéstia – não puxei brasa para a minha sardinha – deixei de mencionar o jornalismo, alegando que mantemos as pessoas informadas. Mesmo porque com a praga da internet todos vão em busca de informação pouco ligando em relação à credibilidade da fonte. Pelo contrário, quanto mais estapafúrdia a notícia maior o sucesso, como a da cobra que comeu um elefante em um país inexistente da África.

O grande fato é que a tendência de muitos é achar sempre a sua profissão como a mais importante do mundo e por isso reclamar por mais valorização, principalmente a salarial e em segundo plano as condições de trabalho. Se o dinheiro pintar alto, pode-se até fazer vista grossa para as condições de trabalho.

Dentro desse princípio, os que estão mais próximos do dinheiro acabam puxando brasa para sua sardinha e enchendo aos poucos os bolsos e por vezes até cuecas, engordando o porquinho de suas fortunas em busca de um enriquecimento que como uma doença parece nunca ter fim.

Não é a profissão mais importante do mundo. Talvez não seja nem mesmo profissão. Mas, o ladrão sem dúvida – puxando brasa para sua baleia – impede que o trabalhador honesto consiga acesso a uma educação, saúde, cultura e lazer decente.

Ou seja, pela ação das aves de rapina, somos impedidos de, como uma orquestra harmônica do mais simples instrumento ao mais complexo, consigamos encher o espaço de belas músicas. Por enquanto, apenas uma total desarmonia resultado da ganância dos que alimentam de brasas o inferno de um mundo que poderia ser o paraíso na Terra.

Qual a sua opinião?