Times cariocas passam por provas de fogo com a benção do Capita

Batom Futebol Clube em 1 de novembro de 2016 - 9:00 em Notícias
  
  

Flamengo

São três jogos sem vitória. O torcedor rubro-negro que via o título cada vez mais perto, hoje fica dividido se ainda acredita ou não. O jogo contra o Atlético-MG foi uma prova de fogo. O Flamengo jogou como nunca no primeiro tempo e se entregou como sempre no segundo. Perdeu muita chance na primeira etapa, assim como o Galo perdeu na segunda. O resultado não poderia ter sido outro. Sobre ainda sentir o cheirinho, acho que o futebol sempre é uma caixinha de surpresa e o lema do flamenguista está sendo: “1% de chance, 99% de fé”. Só que hoje quero falar de um jogador em especial: Paolo Guerrero. Três gols e uma assistência nos dois últimos jogos. Amigo, você pode até criticar, dizer que ele está sempre impedido, falar que ele não se posiciona bem, que adora ficar enfiado entre os zagueiros ao invés de abrir pra receber. Só que os números estão aí. Se ele continuar com essa média até o final do Brasileiro, e a defesa começar a colaborar, vai ajudar muito o Flamengo. No Corinthians, nunca foi um jogador fantástico. Ele fazia gol. Principalmente decisivos. É isso que a torcida espera. E é isso que a gente torce pra ele fazer a cada jogo. Acabou o caô! SRN!

Botafogo

Pra quem via o Botafogo como um dos candidatos ao rebaixamento, hoje escrever sobre a luta para ir à Libertadores ficou mais fácil. Não vou julgar aqui o jogo do último sábado, contra o Coritiba. Primeiro porque a torcida fez sua parte e deu um show, batendo recorde de público na sua Arena, com 13.750 pagantes. Dentro de campo, o time também foi muito bem, só que esbarrou no inspirado goleiro Wilson, que fez pelo menos cinco grandes defesas. Agora o próximo jogo é o clássico contra o Flamengo, que ainda sonha com o título. Pra piorar, só com 10% da nossa torcida. Mas o Alvinegro já provou que, mesmo jogando “fora de casa”, não tem medo do adversário, seja ele quem for. Jair Ventura está fazendo milagre nesse time do Botafogo e todos os torcedores, que antes faziam suas apostas sobre a queda, hoje acreditam mais do que nunca na classificação para a competição internacional. Por isso, tudo certo com o empate em casa, ok? Mas nada de relaxar!

Fluminense

O Fluminense já não vence há cinco jogos. Pior ainda: deixou o Vitória empatar o jogo em 2 a 2, na volta ao Maracanã! Até agora é inacreditável. E ainda pedem paciência e apoio aos tricolores. Complicado! Faltou aquela garra de quem está jogando em casa após tanto tempo fora. A defesa voltou a falhar nesses últimos jogos. Parece que o time não está mais evoluindo e que o Levir Culpi não está preocupado com isso. O interessante é que o time estava lutando pelo G-4 e, quando menos esperávamos, o G-4 virou G-6. Desde então, uma vez que estava mais próximo a classificação para a Libertadores, esse mesmo time relaxou. Agora, caiu para a atual nona posição do Campeonato Brasileiro e não consegue mais se recuperar. Ainda há chance, mas são poucas. A maioria dos torcedores não parece acreditar. O próximo jogo é difícil, contra o Cruzeiro, no Mineirão. Já o seguinte é contra o Atlético PR, que está atualmente em sexto e com a diferença de três pontos para o Fluminense. Vamos torcer, já que é o que nos resta! ST!

Vasco

Nossa, quando foi o último jogo do Vasco mesmo?Com tanto tempo de folga, acredito que Jorginho e comissão técnica tenham tido dias de sobra pra poder pensar nessa equipe que não consegue deixar de ser “quase”. Quase boa, quase classificada pra primeira divisão e quase campeã. Para a próxima partida, contra o Brasil de Pelotas, é pensar apenas na vitória e torcer pro Atlético-GO perder. Caso isso aconteça, teremos a liderança na ponta dos dedos e, desta forma, a confiança voltará a passear por São Januário. Meu único pedido ao Jorginho e ao time é atenção: a partida na casa do Brasil-RS pode se tornar um bicho de sete cabeças caso o salto alto não dê lugar à humildade. SV!

Seleção Brasileira

Referência. Acho que essa é a palavra que melhor define Carlos Alberto Torres. E, pelos depoimentos dados após a perda do eterno Capita, tivemos a certeza de que essa referência não era só dentro das quatro linhas. O cara era um ser humano ímpar (mesmo usando o número 4 na Seleção Brasileira rs). As homenagens, todos nós já fizemos e vimos. Por isso, para a coluna desta semana, pensei em falar sobre a tão batida questão de exemplo de capitão. Ainda temos, vivos, Dunga e Cafu. E depois? Acho que o Neymar terá 35 anos e ainda vão dizer que ele não está maduro. Thiago Silva ia muito bem até chorar e cair no conceito da torcida. A minha opinião bate com a coincidência das posições do Capita e do Cafu. Acho que, atualmente, Daniel Alves é o jogador com mais cara de líder dentro de campo. Além de seguir em alto nível como lateral-direito, a experiência do camisa 2 da Canarinho é inegável. Ele já usou a braçadeira com Tite e acho que não seria ruim se o rodízio do treinador parasse por aí. Mas, como Adenor tem um senso de justiça altíssimo, acredito que veremos Neymar liderando o grupo diante da Argentina no dia 10, no Mineirão. Não sou contra. Que o Capita esteja conosco!

Beijo de Batom Vermelho

Foram 15 jogos de invencibilidade. Foi difícil bater o Palmeiras. Mas palmas e muitos beijos para o Santos que conseguiu a proeza de vencer o líder do Campeonato Brasileiro e ainda ficar mais perto da vaga direta para a Libertadores e, quem sabe, do título!

Quem Borrou o Batom?

Tá na hora de darmos espaço para os árbitros aqui. Mais uma rodada de muita reclamação, seja dos cariocas, como o Botafogo reclamando de pênalti não marcado, quanto no resto dos clubes. Até quando?

TWITTER: @Batomfclube
INSTAGRAM: BatomFutebolClube

Batom Futebol Clube

Qual a sua opinião?