ABERT divulga nota de repúdio sobre repórter agredida na frente de presídio em Minas

Redação em 17 de janeiro de 2017 - 19:48 em Destaques, Notícias, TV, Vídeos
  
  

Durante a cobertura do motim no Presídio Antônio Dutra Ladeira, em Ribeirão das Neves (Belo Horizonte), a repórter Larissa Carvalho, da TV Globo Minas, foi agredida  quando fazia um boletim com informações, ao vivo, na GloboNews, pouco depois da meia-noite de terça-feira (17).

A repórter falava sobre a situação de momento na penitenciária e sobre a questão da superlotação da unidade, quando começou uma gritaria entre os parentes dos presos, que estavam próximos do local onde a repórter trabalhava. Em seguida, uma mulher se aproxima e empurra a repórter, que cai no chão. Um policial aparece e domina a agressora. Ela é mãe de um detento, segundo a Polícia Civil

Em nota, a Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e TV (ABERT) repudiou a agressão sofrida pela repórter, que estava em pleno exercício de sua profissão.

Comentário do site: a nota não passava de uma obrigação da ABERT, que só se pronunciou muitas horas depois do ocorrido.  É a mesma ABERT que não se pronuncia sobre absolutamente nada que se refira a todo o processo de greve por tempo indeterminado na Super Rádio Tupi. A mesma ABERT que ignora a situação difícil pela qual passa os mais de 150 profissionais que estão há meses sem receber o salário. O ministro Gilberto Kassab, que só deve saber dessa citação através de seus inúmeros assessores pagos com dinheiro público, deveria estar por dentro da situação dos Diários Associados, já que a Tupi detém uma CONCESSÃO PÚBLICA no Rio de Janeiro. Aliás, Tupi que está deixando de prestar serviço ao povo carioca e está manchando 80 anos de história até aqui num episódio VERGONHOSO. 

Qual a sua opinião?